Presidente da ACS-PE é favorável ao voto impresso auditável nas eleições de 2022

Para Albérisson Carlos, a adoção do voto impresso auditável evitará que haja fraudes eleitorais.

Publicado em 28 de abril de 2021

Presidente da ACS/PE Albérisson Carlos/ Foto: Luiz Fernandes

Presidente da ACS/PE Albérisson Carlos/ Foto: Luiz Fernandes

O presidente da Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), Albérisson Carlos, informou ser favorável à adoção do voto impresso auditável nas eleições de 2022.

Albérisson explicou que é necessário as pessoas saberem o que é voto impresso auditável, pois muitas pessoas falam que é regredir, ao sair do voto eletrônico para o voto impresso.

“Algumas pessoas se confundem e falam em regressão, mas na verdade, o voto eletrônico continuará, mas após o voto haverá uma impressão do voto para conferência, onde a pessoa depositará a cédula na urna para quando haver a contagem no final da votação para que durante a apuração, os votos das urnas eletrônicas e das cédulas coincidam e tenhamos uma apuração mais justa e confiável”, explicou Albérisson.

Para o presidente da ACS-PE, a permissão da instalação do voto impresso auditável será mais um instrumento que vai ajudar na confiabilidade da urna eletrônica e ajudará no combate às fraudes e evitará que o resultado seja diferente da vontade da população.

“É democrático pensar que a urna pode ter um sistema que pode ser invadido por hackers e mudar o resultado de uma eleição”, concluiu.

PEC 135/19 exige a impressão de cédulas em papel na votação e na apuração de eleições, plebiscitos e referendos no Brasil.

Pelo texto, essas cédulas poderão ser conferidas pelo eleitor e deverão ser depositadas em urnas indevassáveis de forma automática e sem contato manual, para fins de auditoria.

TSE já disse que era desperdício e retrocesso. Há pouco, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, anunciou a realização de licitação que será realizada para compra de até 176 novas urnas eletrônicas, mas os contrários voltam à insistir nas discussões quanto ao voto impresso.

Notícias Relacionadas

Desenvolvido por Alexsander Arcelino