Presidente da ACS-PE Albérisson Carlos repudia punição antecipada de PM em ato no Recife e defende a tropa

Tal atitude, é no mínimo, precipitada e enfraquece o exercício da defesa da ordem comum e é preciso atentar que a sociedade poderá pagar muito caro com o precedente que se abre com tal punição, diz a nota.

Publicado em - 29 de maio de 2021

Presidente da ACS-PE Albérisson Carlos repudia punição antecipada de PM em ato no Recife e defende a tropa

Albérisson Carlos, presidente da ACS-PE. Foto: Divulgação/ Luiz Fernandes

Albérisson Carlos, presidente da ACS-PE. Foto: Divulgação/ Luiz Fernandes

A Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados vem a toda sociedade pernambucana manifestar esclarecimentos sobre os fatos ocorridos neste sábado, 29 de maio, no Centro do Recife.

Como é sabido por grande parte da sociedade, nesta data, algumas avenidas e ruas do Centro do Recife, foram tomadas por integrantes de Partidos Políticos de Esquerda e de supostos movimentos que se intitulam, defensores das classes menos favorecidas, os quais conforme vários vídeos e imagens que estão sendo divulgados, nas redes sociais, apedrejaram a PM e picharam vários ônibus, causando a toda população recifense, em especial, que estavam naquele momento, em pânico e insegurança.

A ACS-PE ressalta, que os policiais da PMPE seguem treinamento oferecido pelo próprio Estado, para ações de combate à depredação e baderna, bem como, os Policiais envolvidos na ação, apenas cumpriam determinação do próprio Governo do Estado e recomendação do MPPE, os quais, através do Decreto Estadual, proíbem qualquer tipo de manifestação, a fim de se evitar qualquer aglomeração, nos finais de semana, de 29 a 30 de maio, e de 5 a 6 de junho, do corrente ano.

A Associação repudia veementemente, a punição antecipada, que é o afastamento dos profissionais da segurança pública. Tal atitude, é no mínimo, precipitada e enfraquece o exercício da defesa da ordem comum e é preciso atentar que a sociedade poderá pagar muito caro com o precedente que se abre com tal punição. Pichação de ônibus, quebra-quebra, desacato e resistência, devem ser coibidos de acordo com a legislação vigente.

É importante frisar que, a integridade física e moral do Policial Militar, também deve ser preservada em situações adversas. Por fim, a Associação enfatiza que, um dos objetivos da ação policial desse dia 29 de maio de 2021, foi evitar que a desordem chegasse até as dependências do Palácio do Campo das Princesas, inclusive.

Albérisson Carlos
Presidente da Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS-PE)

Notícias Relacionadas

Abrir Chat
Olá 👋 Podemos te ajudar?
Olá 👋
Podemos te ajudar?