ACS-PE aguarda por quatro possíveis concursos para PMPE e Corpo de Bombeiros Militares em 2022

De acordo com o presidente da Associação, Albérisson Carlos, Pernambuco precisa ter na faixa de 26 mil Policiais Militares na ativa. Atualmente esse número gira em torno de 16 mil.

Publicado em - 27 de dezembro de 2021

ACS-PE aguarda por quatro possíveis concursos para PMPE e Corpo de Bombeiros Militares em 2022

O Presidente da Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS-PE), Albérisson Carlos, defendeu que Pernambuco precisa ter na faixa de 26 mil Policiais Militares na ativa. Atualmente esse número gira em torno de 16 mil. A entidade já obteve conquistas positivas relacionadas ao efetivo, mas o déficit voltou a ficar preocupante.

O anúncio de que, em 2022, Pernambuco pode abrir 4 novos concursos para as Forcas de Segurança do Estado, trouxe expectativas para quem faz o serviço ostensivo e de salvamento, como Policiais e Bombeiros Militares. Quem mais se beneficia com isso é a sociedade.

“Efetivo é o básico na Segurança Pública. Se uma fábrica tem poucos funcionários, ela não produz o suficiente. O mesmo ocorre com a PM. Os índices de violência pedem mais profissionais nas ruas. O mesmo ocorre com os Bombeiros. A corporação precisa de pessoal para dar pronta resposta para efetuar resgates seguros e salvar vidas”, afirma Albérisson Carlos.

A ACS-PE tem histórico de conquistas, também no que se refere a concursos. Outros certames já foram abertos depois de solicitação da entidade que busca em estudos científicos a base de argumentos para reivindicação de melhorias.

“Estamos sempre em busca de conhecimento. Estudamos cada região do Brasil e até outros países do mundo. É comprovado que, quanto maior as desigualdades sociais, mais efetivo é necessário para conter a escalada da violência. Infelizmente estamos num país onde a desigualdade é fato histórico. Então precisamos de condições para prestar serviço de segurança pública e o efetivo é fundamental”, argumenta Albérisson.

Outras vitórias da Entidade que representa os Militares Estaduais são: Plano de Cargos e Carreiras e Remuneração por Subsídio, que é a faixa única de remuneração, sem a possibilidade de congelamento, como ocorre há 4 anos na categoria.

“Lutamos por respeito e dignidade para o Militar Estadual. Um profissional valorizado presta um serviço com muito mais qualidade para a população. É em nome de todos que levantamos essas bandeiras”, conclui Albérisson.

Notícias Relacionadas

Abrir Chat
Olá 👋 Podemos te ajudar?
Olá 👋
Podemos te ajudar?